Melhor tese mundial sobre Qualidade é da Escola de Engenharia da UMinho

Academia Internacional para a Qualidade premiou estudo doutoral inovador de André Carvalho

A Academia Internacional para a Qualidade (IAQ) distinguiu o investigador André M. Carvalho, do Centro Algoritmi da Escola de Engenharia da Universidade do Minho, por ter a melhor tese de doutoramento realizada nesta área, a nível mundial, em 2020. O prémio, designado Riccardo Dell’Anna Doctoral Dissertation Prize, é atribuído pela primeira vez a um português e vai ser apresentado em setembro, na conferência da IAQ.

O trabalho de André M. Carvalho é o primeiro a provar, na prática, que organizações com foco na qualidade e melhoria contínua conseguem resistir e prosperar em ambientes cada vez mais incertos e complexos. O estudo analisou dez organizações de dois países (Portugal e Estados Unidos) e decorreu na Escola de Engenharia da UMinho, em Guimarães, no âmbito do doutoramento em Líderes para Indústrias Tecnológicas do Programa MIT Portugal.

O investigador já tinha sido laureado em conferências do Programa MIT Portugal (Portugal, 2016), da IEOM Society International (EUA, 2018) e da European Organization for Quality (Portugal, 2019). “Há um reconhecimento que foi sendo obtido à medida que o trabalho avançou, e, desta vez, tenho a grande honra de receber o prémio da IAQ”, diz André Carvalho. A IAQ nasceu há 50 anos nos EUA e junta profissionais, investigadores e executivos de todo o mundo, sendo ímpar na área.

Muitos estudos provam que as iniciativas de qualidade e de melhoria contínua nas organizações tendem a levar ao sucesso em ambientes estáveis. André M. Carvalho quis aplicar isso a ambientes instáveis, ou seja, aos tempos atuais, que têm desafios múltiplos e globais. “Confirmei que as empresas conseguem atingir o sucesso nestes ambientes se utilizarem o foco na qualidade para promoverem uma transformação cultural, e com isso, aliarem a procura pela qualidade com os princípios da agilidade”, justifica. Para o investigador, qualidade é “alinhar a organização com os requisitos do cliente e as necessidades da sociedade”.

Academia de referência na área

André M. Carvalho nasceu há 32 anos em Braga e vive em Lisboa. Fez o mestrado integrado em Engenharia e Gestão Industrial pela UMinho, com período Erasmus no VIA University College (Dinamarca), o doutoramento em Líderes para as Indústrias Tecnológicas pela UMinho e MIT (EUA) e o pós-doutoramento pela Universidade Técnica da Dinamarca. Teve ainda formações na Universidade de Ioannina (Grécia) e na Academia Militar. Foi investigador visitante na Northeastern University (EUA), fundador do ASQ UMinho Student Branch (primeiro e único ASQ Student Branch na Europa) e presidiu ao Núcleo Alumni de Engenharia e Gestão Industrial da UMinho. Além disso, colaborou nas empresas Bosch Car Multimedia, Logoplaste do Brasil, e FOSS, trabalhando a qualidade em áreas desde a logística à transformação digital. É co-fundador da Acesas Cultura e do Free Walking Tour Braga.

É hoje investigador do Centro Algoritmi e professor da Universidade Lusófona de Lisboa. A sua passagem pela UMinho “fez a diferença”, admite. “Tenho trabalhado em algumas das melhores instituições do mundo e nunca senti que estivesse menos preparado do que os outros colegas”, afirma. A UMinho tornou-se uma referência no ensino e investigação em Qualidade e Excelência Organizacional. É a única academia do país com uma conferência internacional na área (ICQEM), com um Student Branch e um conselheiro português (Paulo Sampaio) no Board da American Society for Quality (ASQ), e entre outros projetos, produziu um ranking mundial da Qualidade. Os cientistas afetos ao Algoritmi têm acumulado prémios (como a medalha Feigenbaum), projetos, publicações e participações em eventos, reforçando a ligação às empresas e à sociedade.